Oi! Sou Lia Fugita, nascida em 2 de abril de 1981, sob os signos de Áries e Galo.
Com uma extraordinária altura de 1,60m, que parou de aumentar quando eu tinha uns 15 anos, tenho hoje em torno de 49 kg.
Outra coisa que parou de aumentar bem cedo foi o tamanho dos meus pés. Aos 13 anos de idade, número 33 era o que eu ia calçar dali pra frente.
O cabelo atualmente está na cor natural, castanho escuro, mas já foi "marrom-mel", loiro-clareado-do-sol, castanho chocolate... Fiquei com essas cores estranhas entre maio-02 até outubro-07, quando resolvi voltar às minhas origens.
Os olhos são pretos. Mas pretos mesmo! Desses que se colocar contra a luz, não dá nem pra enxergar a bolinha da pupila.
Nasci em São Paulo e continuo morando aqui. Gosto dessa cidade, apesar dos problemas que toda grande metrópole tem. Não me vejo morando no interior, onde as lojas do shopping (se tiver) não abrem de domingo e os supermercados não são 24 horas.
Em 2004, me formei em Engenharia de Materiais, pela Escola Politécnica da USP, mais conhecida como Poli. Demorei 6 anos pra concluir o curso, mas não me arrependo de nada. Nem de ter cursado, nem de ter demorado 1 ano a mais pra terminar. Se eu voltasse pra 1998, que foi quando eu prestei vestibular, escolheria a mesma coisa, com mais certeza ainda.
Em agosto de 2008, terminei minha pós-graduação em Economia, pela FGV. Aprendi muita coisa interessante, que compensou a noção de mundo zero que eu tinha quando saí da Poli.
Tenho um piercing no umbigo e uma tatuagem de código de barras na cintura, atrás, do lado esquerdo. Fiz ambos em 2001, quando tinha 20 anos. O piercing, papai que me levou pra eu fazer. Já a tatuagem, papai não queria que eu fizesse. Fiz escondido.
Os shampoos e condicionadores e cremes que eu uso pra manter meu cabelão são Vitamino Color e Kérastase. São caros mas valem a pena.
Perfume que eu uso no dia-a-dia é o Tommy Girl. Para ocasiões especiais, uso um especial, que pouca gente sabe o nome.
Adooooooooooooro Dance Music desde 1994, quando o Ice MC e a Alexia estavam estourando com "It's A Rainy Day". Nunca mais parei de ouvir Dance desde então. Em 2001, me contaram que eu gostava de Black Music. Intuitivamente eu gostava, mas não tinha consciência. O Pop abrange "tudo-que-não-se-encaixar-em-um-determinado-estilo", mas eu também gosto bastante. Uma música em especial que já está desatualizada, mas eu venero até hoje é I Wish You Would - Martijn Ten Velden. Essa música tem um ar esnobe, poderoso... não sei explicar direito.
Meus filmes preferidos são Charlie's Angels, MIB, Piratas do Caribe, Fast & Furious, Monstros S.A, Kill Bill vol.1., mas não tenho exigência de tipos. Gosto bastante de ir ao cinema, porque é o único momento em que eu aceito parar pra ver um filme. Não sou muito de ver DVD's em casa, nem filme em TV a cabo.
Aliás, assistir TV é uma coisa que eu não faço em geral, ainda mais TV aberta. Novela então, jamais! No máximo, eu gostaria de acompanhar algum seriado legal que tem nas Warners e Sonys da vida, mas nunca parei pra "me dedicar".
Quanto a comida, amo acima de tudo batata frita. Mas não é qualquer batata frita. Tem que ser aquela meio murcha, encharcada de óleo, não muito tostada. As duas melhores batatas fritas que eu comi na vida foram no Guarujá e em Arraial do Cabo. Em seguida, vêm Blooming Onion, Ribs On The Barbie, feijoada e torta de morango. Não sou de comer doces, tanto que tenho o "poder" de ignorar uma panela de brigadeiro, o que causa inveja a muita mulher, hahaha! Mas uma tortinha de morango, bem feitinha, até que vai bem.
Para beber, gosto muito de chá mate, chá verde e Pepsi. Não bebo nada alcoólico, pois um dia me disseram "Lia, você já é meio assim... Se beber então...!!!" Aí resolvi seguir esse conselho.
Aaaaaaaaaaamo gatos, principalmente os de pêlo curto, mas infelizmente nunca tive nenhum. Uma frase sensacional sobre gatos diz que "Cachorros pensam que são humanos. Gatos pensam que são deuses".
Meu hobby absoluto é ler livros. Sobre qualquer assunto, exceto Direito. Sim, gosto de ler sobre Psicologia, Psiquiatria, Mitologia, História, Economia, suspense, terror, ficção científica, auto ajuda, Espiritismo, Neurologia, Administração, mistério. Com esse hobby, vem um dos meus vícios mais problemáticos: compulsão por comprar livros. Felizmente, consegui controlar impondo metas de leitura combinadas com recompensas, e montagem de wishlist.
Uma frase que eu ultimamente tenho tentado manter em mente é "Não há nada que você não possa fazer, ser ou ter", de Esther & Jerry Hicks.